Intervenção no Arvoredo

Com a chegada da primavera, altura em que as árvores caducas se cobrem de nova folhagem, ocorrem frequentemente ataques de insetos (afídeos) que têm como consequência o aparecimento das vulgarmente denominadas “meladas”, libertação de uma goma pegajosa que suja passeios e viaturas.
As espécies mais suscetíveis a esta praga, existentes na nossa freguesia, são as tipuanas, os jacarandás, os tulipeiros e as tílias. Além dos transtornos causados no Espaço Público, que geram inúmeras reclamações nesta altura do ano, a presença destas pragas enfraquece gradualmente as árvores.

Após uma pesquisa das soluções disponíveis e ponderando todos os fatores optou-se pela endoterapia, um tratamento por microinjeção de um produto no sistema vascular das árvores que assim atua nas folhas onde os insetos se alimentam. Este tipo de tratamento não causa impacto no meio urbano, uma vez que não implica qualquer restrição de acesso à área tratada nem tem implicações em pessoas ou animais.

Quanto ao produto a aplicar, a Junta de Freguesia teve a preocupação de escolher a solução mais amiga do ambiente optando por um produto biológico de origem vegetal que, embora possa não ser tão eficaz quanto o produto químico, vai ter resultados notórios em relação a anos anteriores.

Esta é, aliás, a primeira vez que se faz este tratamento na nossa freguesia, que teve início hoje de manhã. Ao longo das próximas semanas serão intervencionadas, no total, 430 árvores nos arruamentos mais afetados, que são a Av. Barbosa du Bocage, a Av. Cinco de Outubro, a Av. Conde de Valbom, a Av. Elias Garcia, a Av. João Crisóstomo, a Av. Visconde de Valmor e a Rua Padre António Vieira.