As árvores das Avenidas – Jacarandás

As árvores das avenidas

JUNHO – Jacaranda mimosifolia

É uma árvore maravilhosa para a arborização urbana, caracterizada pela rusticidade, floração decorativa e crescimento rápido. Pode ser utilizada em arruamentos, jardins, praças e parques, pois as suas raízes não são agressivas, a sua copa pouco densa filtra moderadamente a luz do sol. Mas é entre abril e junho que o jacarandá se apresenta no seu máximo esplendor, enchendo-se de flores azuis / lilases, que por surgirem antes das folhas transformam as suas copas em nuvens coloridas.

Quem resiste a olhar o céu através da copa dos jacarandás? A cor, a forma, o recorte, tudo é bonito nesta magnifica árvore oriunda do Brasil.

Muitos países utilizam o jacarandá na arborização de grandes cidades, entre estes podemos citar a Argentina, Brasil, África do Sul, Estados Unidos, Austrália, Nova Zelândia, Itália, Portugal, Espanha e México. Pretória, na África do Sul, é mundialmente conhecidas pelas suas ruas arborizadas com jacarandás, cujas primeiras árvores foram produzidas a partir de sementes levadas do Brasil.

Em Lisboa, nesta altura do ano, podemos ver inúmeras manchas azuis / lilases no Largo do Carmo, no Príncipe Real, na Avenida D. Carlos I, na Tapada da Ajuda, na Tapada das Necessidades ou no Restelo.

Na Freguesia de Avenidas Novas estão presentes em inúmeros locais de forma muito representativa, nomeadamente no Parque Eduardo VII, na Avenida Miguel Bombarda, na Avenida 5 de Outubro, na Rua Castilho ou no Jardim do Campo Pequeno, contando-se mais de 400 exemplares.

Embora seja uma espécie muito resistente, adaptando-se a uma ampla variedade de locais, preferindo o clima subtropical. Tem como fator limitante o frio, razão pela qual em Portugal só deve ser utilizada a sul do Tejo. Não tolera secas prolongadas, ventos fortes ou salinidade no solo, é resistente à poluição urbana moderada.

 

É uma das poucas árvores que tem o mesmo nome comum em quase todos os idiomas do mundo.

Tem a particularidade de ser uma árvore de folha caduca no nosso clima, o que não acontece nos locais de onde é originária, onde é semi-caduca ou masgescente. Esta adaptação ao nosso clima faz com que a sua floração se torne muito mais espetacular pois ocorre antes do aparecimento das folhas.

Trata-se de uma árvore de porte médio, que atinge cerca de 15 metros de altura. Tem copa rala, arredondada a irregular e folhagem delicada. Seu caule, de 30 a 40 cm de diâmetro, é um pouco retorcido, com casca clara e lisa quando jovem, que gradativamente se vai tornando áspera e escura com a idade. Suas folhas, que medem 40 cm de comprimento, são opostas e bipinadas, compostas por 25 a 30 pares de pequenos folíolos ovais delicados, de coloração verde-clara acinzentada, e se concentram na extremidade dos ramos. No inverno, o jacarandá-mimoso perde as suas folhas, que dão lugar às flores na primavera. As suas flores são duráveis, perfumadas e grandes, de coloração azul ou lilás, em forma de trompete e arranjadas em inflorescências do tipo panícula. A floração estende-se por toda a primavera e início do verão. Os frutos surgem no outono, são lenhosos, deiscentes e contêm numerosas e pequenas sementes. O fruto é cápsula lenhosa, muito dura, oval, achatada, com numerosas sementes.

O Jacarandá cultiva-se principalmente a partir de sementes mas também por estaca.

A madeira que se obtêm do jacarandá é apreciada e emprega-se em carpintaria e marcenaria; é compacta e duradoura. Os frutos (cápsulas) são muitas vezes usados com fins decorativos ou para confeção de bijuterias.

Deve ser cultivada a sol pleno, em solo fértil, bem drenado, enriquecido com matéria orgânica e bastante irrigado.

 

Ficha de cultivo

Nome científico: Jacaranda mimosifolia

Família: Bignoniaceae

Origem: Brasil

Nome vulgar: Jacarandá

Ciclo de vida: Árvore de folha caduca

Propagação: Semente

Época de plantação: Outono, primavera

Época de Floração: Primavera e verão

Cor de floração: azul, lilás

Altura:10-15 m

Distância de plantação mínima: 5-6 m

Condições de cultivo: Sol. Solo fértil, bem drenado e com alguma matéria orgânica. Não tolera secura extrema nem ventos fortes principalmente carregados de ar do mar. Em Portugal só se dão bem a sul to Tejo.

Utilização: Arruamento ou isolada. É uma árvore muito ornamental e de crescimento rápido. Lisboa em Maio e Junho fica marcada pelas manchas roxas que podemos ver quando atravessamos a Ponte 25 de Abril.

Manutenção: Quando na fase de instalação não tolera muito frio e necessita ser regada com alguma frequência.