Sessão pública de apresentação do Policiamento Comunitário no Bairro Santos ao Rego

Teve hoje lugar, no Mercado do Bairro Santos ao Rego, a apresentação pública do projeto de Policiamento Comunitário para aquele território. Com boa afluência e grande interesse dos residentes, a sessão começou com uma introdução da presidente Ana Gaspar, que referiu que era um dia particularmente feliz para a Freguesia de Avenidas Novas, que passa a contar com o notável trabalho da Polícia Municipal de Lisboa, que, em estreita articulação com a Polícia de Segurança Pública e com a contribuição da Escola Básica Mestre Arnaldo Louro de Almeida, das associações ANADIC e Passa Sabi e ainda da Gebalis, da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, formará com os cidadãos o Grupo de Segurança do Bairro Santos ao Rego.

O chefe Gordicho, representando a Polícia Municipal de Lisboa, começou por explicar que o objetivo do Policiamento Comunitário é a prevenção. Com a participação de todos, através de uma tomada de conhecimento e de uma atuação in loco, o Policiamento Comunitário visa uma redução das incivilidades e um aumento do sentimento de segurança, rentabilizando os recursos.

O Grupo de Segurança agora criado, que pode incluir atores que vão das associações de moradores às associações de comerciantes, passando pela Junta de Freguesia, pelas IPSS, pelas ONG, pelos serviços municipais e pelos próprios cidadãos, entre outros, vai identificar os problemas de segurança e definir o perfil dos agentes que atuarão no Bairro Santos ao Rego, em patrulhamento apeado, num diálogo diário e constante com os residentes e com os comerciantes. Uma parte importante do processo é a realização de reuniões mensais com os parceiros, a fim de identificar e compreender melhor a origem dos riscos e definir linhas de atuação. Por outro lado, serão efetuadas ações regulares de sensibilização junto da população local.

O Policiamento Comunitário tem provas dadas noutros territórios da cidade de Lisboa, nomeadamente, na Baixa-Chiado, em Alvalade, na Alta de Lisboa, na Mouraria, na Ameixoeira e no Bairro Padre Cruz. O agente Graça, polícia comunitário na Alta de Lisboa, deu testemunho da atuação positiva do Grupo de Segurança naquele território, considerando o Policiamento Comunitário um modelo muito bom. Foi neste contexto que a Junta de Freguesia de Avenidas Novas envidou esforços para trazer este tipo de policiamento para o Bairro Santos ao Rego.

A sessão contou ainda com a intervenção do chefe Pinto Ribeiro, da Polícia de Segurança Pública, que sublinhou que o Policiamento Comunitário visa entender as questões sociais que levam ao comportamento criminal, área de atuação da PSP, e referiu a importância dos parceiros do Grupo de Segurança para compreender melhor os problemas dos cidadãos.

Nesta sessão, os residentes também participaram, dando voz às suas ansiedades em matéria de segurança, higiene e civilidade, entre outras preocupações, que mereceram esclarecimentos por parte da presidente Ana Gaspar, bem como dos representantes da Polícia Municipal de Lisboa, da Polícia de Segurança Pública, da ANADIC, da Passa Sabi e da Gebalis.

No final, formaram-se grupos de trabalho com técnicos e residentes, com o objetivo de definir os problemas e prioridades de segurança do Bairro Santos ao Rego, bem como de traçar o perfil dos agentes que atuarão no Policiamento Comunitário. Estão dados os primeiros passos para um novo e frutuoso tipo de policiamento neste bairro da nossa Freguesia.

Clique aqui para ver a apresentação pública na íntegra.